Barcos Rabelos

Durante longos tempos as quintas do Vinho do Porto eram somente acessíveis através do Douro, um rio que era traiçoeiro, de corrente rápida e muito turbulenta, pelo que o transporte era obrigatoriamente feito através do rio.

Ao falar do Vinho do Porto – verdadeiro néctar dos deuses - não podemos deixar de fazer referência obrigatória aos Barcos Rabelos, barcos típicos do rio Douro que transportavam as pipas de vinho desde o Alto Douro, onde se situam as vinhas, até às frescas caves situadas em Vila Nova de Gaia, onde era armazenado e posteriormente vendido para outros países.

 

O Barco Rabelo é considerado uma obra-prima para aquele tempo. Desenhado para conseguir sobreviver às correntes rápidas do Rio Douro, era uma embarcação de fundo chato, vela quadrada, que media entre 19 a 23 metros. Era construído com tábuas sobrepostas e conseguia transportar até 100 barris de Vinho do Porto e uma tripulação até 12 homens. (Barco Rabelos - História & Curiosidades. Douro Blog (cruzeiros-douro.pt).  As suas tripulações eram constituídas por homens corajosos e de muita fé. Era costume batizar os Barcos Rabelos com nomes religiosos.

1442_middle_1624960294.jpg

Muitos foram os que perderam a vida nestas viagens, o mais famoso deles foi o Barão de Forrester que perdeu a vida em 1861, nesse mesmo acidente salvou-se milagrosamente D. Antónia Adelaide Ferreira – conhecida por Ferreirinha – empresária vitivinícola portuguesa do século XIX (uma empresária de grande poder num mundo dominado por homens, e no caso do Vinho do Porto por famílias inglesas).

Com a construção da primeira via ferroviária em 1887, o Barco Rabelo deixou de ser a única opção de transporte, ainda assim a sua atividade manteve-se ainda por largas décadas – a última viagem de um Barco Rabelo terá ocorrido em 1964.

No presente estes tradicionais Barcos continuam a embelezar o Rio Douro, mas apenas na zona ribeirinha. Um cruzeiro pelas margens de Porto e Vila Nova de Gaia, em réplicas destes barcos, continua a ser emocionante.

No dia de São João, dia 24 de junho, a “Regata Anual de Rabelos”, é dos eventos mais aguardados do ano. Um evento que embeleza ainda mais as margens do Douro e ajuda a manter viva esta parte da História tão orgulhosamente portuguesa.

O QUE FAZER

Visitas Próximas