Screen Shot 2021-08-04 at 14.51.12.png

Biblioteca

Este edifício foi também construído no século XX (1921-1932), e ao contrário da Capela e do Palácio Neogótico, externamente não tem nenhuma afinidade estilística com o resto do conjunto edificado – distanciando-se do que era a sua traça arquitetónica original.

A Biblioteca é o maior edifício dos que compõem o castelo de aperto palaciano e bem proporcionada.

Do seu aspeto exterior o destaque vai para as três grandes janelas de arco ogival (a nordeste) com vista para o Pátio de Armas, e do lado oposto, encontra-se uma porta que dá acesso à Capela.

No interior o grande destaque vai para a sua elegante ornamentação e para o teto.  As vigas de madeira como as mísulas que as sustentam são pormenores de uma extrema elegância. As mísulas são absolutamente deslumbrantes – são esculpidas em forma de cabeças humanas com rostos ligeiramente inclinados. Uma vez mais este detalhe encontra paralelismo num edifício mudéjar em Córdoba – as mísulas que se encontram no coro capela do antigo convento dos Trinitários de la Rambla, têm a mesma de motivos esculpidos.

O conde de Torralva ordenou a colocação de um último detalhe na Biblioteca – uma mesa de bilhar igual à do Círculo de Labradores de Sevilha.

Um espaço diferente dos demais, onde impera a sobriedade, mas que é muito importante para o conjunto do edificado.