Cadeiral do Coro Alto

O imponente e monumental Cadeiral Manuelino, em madeira esculpida e dourada, começou a ser construído em 1513. Este cadeiral é uma obra de referência e que revela as tendências hispano-flamengas do responsável pela conceção original - o entalhador flamengo Machim.  Este cadeiral é um raro exemplo de cadeiral manuelino que chegou incólume aos nossos dias, preservando a sua traça original, aliás com esta envergadura é mesmo o único!

DSC01557
DSC01557

press to zoom
DSC01557
DSC01557

press to zoom
1/1

A construção ocorreu em três empreitadas sucessivas, levadas a cabo por mestres entalhadores-escultores estrangeiros deslocados para Portugal: Machim, João Alemão e Francisco Lorete. Este cadeiral esteve inicialmente na capela-mor, tendo sido mudado para o coro alto, para que os túmulos de D. Afonso Henriques e D. Sancho I fossem aqui instalados.

No topo do Cadeiral, cada baixo-relevo ilustra um episódio da Epopeia Marítima dos Descobrimentos Portugueses.

As cadeiras encontram-se decoradas com uma profusão de animais do fabulário, sendo que as misericórdias das cadeiras apresentam inúmeras cenas hagiográficas, alegóricas e simbólicas, e combates entre os vícios e as virtudes.

A simbologia iconográfica é riquíssima e ainda não foi totalmente decifrada, o que mantém sobre si uma certa aura de mistério.