Capela

Igreja basilical ampla, de arquitetura românica, de planta retangular, com abóbada de canhão (berço) apontado erguida sobre um pequeno arco toral, sendo que a nave principal é fechada por uma simples abside.

É um espaço simples assente nos postulados cistercienses de austeridade: cantaria em pedra, ausência de adornos, destacando-se somente o leve apontamento abobadado.

O templo é iluminado por três pequenas janelas, uma delas situada no centro da abside, tem ainda uma pequena sacristia.

Foi capela dos cavaleiros Templários e depois dos Montesianos, foi a basílica papal de Bento XIII e do seu sucessor, Clemente VIII (também considerado Antipapa e que ocupou as dependências pontifícias até à sua abdicação em 1429).

Foi lugar de sepultura de Pedro de Luna (Bento XIII), entre 1423 e 1430 (foi enterrado ao lado da abside, à direita, sob uma laje de pedra (antiga ara do altar templário), sem inscrição alguma). Foi depois trasladado, para o castelo-palácio dos Luna, en Illueca (na província de Saragoça), onde nasceu – homenagem prestada à sua memória por alguns familiares.

 

A igreja foi dedicada à Virgem Maria (“Humil Verge Maria”) e aos Três Reis Magos do Oriente. A igreja foi construída no século XIII, pelo mestre construtor templário, Frei Berenguer de Cardona. No exterior sabre a porta de entrada do templo, foram gravados os cinco cardos do Brasão de Armas da família Cardona, para memória e honra dessa antiga e mui nobre linhagem.

Em 1923, aquando do quinto centenário da morte de Dom Pedro de Luna, a Universidade de Saragoça quis prestar-lhe homenagem, colocou então diante da porta que dá acesso à Praça de Armas, uma lápide em mármore preta onde figuram o Escudo Papal, o Brasão Aragonês, com a seguinte legenda: "Aragão pede-vos que rogueis a Deus por Bento XIII, Pedro da Lua, o grande aragonês de vida limpa, austera, generosa, sacrificada por uma idéia de dever. O juízo final descobrirá mistérios da História. Nele nos salve Jesuscristo e Santa Maria, sua mãe". (tradução livre).