Citânia de Briteiros

 

A Citânia de Briteiros é um dos mais expressivos povoados proto-históricos da Península.”

 

A Citânia de Briteiros é um sítio arqueológico da Idade do Ferro, situado no alto do Monte de São Romão, a cerca de 15 km Guimarães. Fica também perto dos santuários do Sameiro e do Bom Jesus de Braga. As ruínas arqueológicas desta Citânia provam a existência de um povoado primitivo, pré-romano, pertencente ao tipo geral dos denominados “castros” do noroeste de Portugal.

 

Está classificada como Monumento Nacional desde 1910.

 

Trata-se de uma povoação localizada num sítio elevado, com traços culturais celtas, ainda que fortemente romanizada no início da Era Cristã e muralhada e que conta com 3 cinturas de muralhas, que ainda hoje se podem admirar.

A cultura celta é evidente na disposição topográfica, na planta circular das casas, no seu processo de construção bem como nos motivos geométricos.

Um dos monumentos pré-romanos mais curiosos é o balneário com dois compartimentos, onde os habitantes castrejos tomavam banhos de vapor – “sauna” – e seguidamente tomavam banhos de água fria.

 

A influência da romanização, séc. I a.C., está patente em numerosos vestígios – inscrições latinas, moedas da República e do Império, fragmentos de cerâmica importada, vidro, entre outros artefactos.

 

O povoado terá sido definitivamente abandonado no séc. III d.C.

 

No séc. X foi construída uma pequena ermida cristã na acrópole entre as ruínas do antigo povoado.

 

O espólio arqueológico encontrado na Citânia de Briteiros encontra-se exposto no Museu da Cultura Castreja, no Solar da Ponte, em Briteiros e no Museu de Arqueológico da Sociedade Martins Sarmento, em Guimarães.

  • YouTube
  • Instagram
  • Facebook

© 2017 GRUPO GALA | All Right Reserved