Jose de Ribera

José de Ribera (Xàtiva, 1591 – Nápoles 1652, foi um pintor tenebrista espanhol do XVII, também conhecido como Giusepe de Ribera (nome italianizado). Foi apelidado pelos seus contemporâneos como Lo Spagnoletto, «el espanholito», por ser de baixa estatura e porque reivindicava as suas origens assinando como «Jusepe de Ribera, espanhol» o «setabense» (de Játiva). 

José de Ribera é um destacado pintor da Escola Espanhola, embora a sua obra se tenha integralmente realizado em Itália não se conhecendo de facto exemplos seguros dos seus inícios em Espanha.

José_de_Ribera.jpg

Crê-se que José de Ribera iniciou a sua aprendizagem com Francisco Ribalta, que tinha uma oficina muito frequentada. Por falta de obras desta altura não se pode comprovar este facto.

Aos 17 anos de idade Rivera partiu para Itália para seguir as pisadas de Caravaggio. Quando chegou a Roma conheceu a pintura classicista de Reni e de Ludovico Carracci como com o áspero tenebrismo que estava a ser praticado pelos caravagistas holandeses residentes naquela cidade.

Casou com a filha de uma importante família (Azzolini), ao que se seguiu a rápida ascensão artística. Em poucos anos, José de Ribera, chamado ”lo Spagnoletto”, adquiriu fama em toda a Europa graças, sobretudo, aos seus trabalhos de gravura; sabe-se que até mesmo Rembrandt os colecionava.

O ponto forte da sua obra foi a prática do dramatismo de Caraveggio. A intensidade com que trabalhou manteve-o distanciado da sua amada Espanha.

AAAAJRmagdalena_ventura.jpg

O apoio dos vice-reis e de outras autoridades de origem espanhola explicam o facto das suas obras terem chegado em abundância à Península Ibérica.  Actualmente o Museu do Prado (Madrid) possui mais de quarenta quadros seus.  Note-se que já em vida Ribera era famoso, tanto que Velázquez o visitou em Nápoles em 1630.

A fusão de influências italianas e espanholas fez com que pintasse obras como o "Sileno Ébrio" (1626 -  atualmente exposto em Capodimonte, na região de Lácio) e "O Martírio de Santo André" (1628, exposto no  Museu de Belas Artes de Budapeste).

José de Ribera faleceu em 1652 e encontra-se sepultado na Igreja de Santa Maria del Parto, no bairro de Mergellina, em Nápoles.