yy.PNG

Ordem do Templo

A Ordem dos Pobres Cavaleiros de Cristo e do Templo de Salomão, conhecida como Cavaleiros Templários, Ordem do Templo ou simplesmente Templários, foi uma Ordem Militar Cristã de Cavalaria da Idade Média, fundada em 1118 em Jerusalém, para proteger os lugares sagrados.

 A ordem foi fundada após a Primeira Cruzada (1095), por Hugo de Payens, em 1118, com o apoio de mais oito cavaleiros. Os Templários tinham grande poder, tanto militar como económico, causando inveja entre os líderes daquele período.

A expansão dos Templários foi rápida. À medida que ganhavam batalhas e o respeito do povo, ganhavam propriedades e terras. Nos dois séculos em que existiram, tinham 800 castelos por toda a Europa. Destes 800, 100 estavam em Espanha. Hoje muitos deles desapareceram, mas ainda há alguns onde podemos imaginar os Templários a planear uma nova cruzada. 

Um deles é o Castelo de Peñíscola que esteve "operacional" para os Templários entre 1294 e 1307.

 

O sucesso dos Templários esteve sempre vinculado ao das Cruzadas. Quando a Terra Santa foi perdida, o apoio à Ordem reduziu-se. Rumores acerca da cerimónia de iniciação secreta dos Templários criaram desconfianças, e o rei Filipe IV de França, “O Belo”, profundamente endividado com a Ordem, começou a pressionar o papa Clemente V a tomar medidas contra eles. A 13 de Outubro de 1307, o papa Clemente V  ordenou a prisão de todos os Cavaleiros Templários em França foram presos, tendo sido posteriormente queimados publicamente. A 2 de Maio de 1312, o mesmo Papa dissolveu a Ordem com a publicação a Bula Ad Providam, pela qual concedeu os bens da ordem aos Hospitalários, entregando a maior parte deles ao Rei Filipe IV de França.

 

 

O súbito desaparecimento da maior parte da infraestrutura europeia da Ordem Templária deu origem a especulações e lendas que mantêm o vivo o nome e toda a aura de secretismo dos Cavaleiros Templários até aos dias de hoje.