PADRÃO DOS DESCOBRIMENTOS

Localização: Avenida Brasília | Lisboa

Contactos:

Créditos: Nuno Ratão

O Padrão dos Descobrimentos (ou Monumento aos Descobrimentos; ou Monumento aos Navegantes) localiza-se na Zona de Belém,. A conceção arquitetónica é de Cottinelli Telmo e as esculturas são de Leopoldo de Almeida.

Em posição destacada na margem direita do rio Tejo, o monumento original, construído com materiais perecíveis, foi erguido em 1940 por ocasião da Exposição do Mundo Português para homenagear as figuras históricas envolvidas nos Descobrimentos portugueses. 

 

O monumento original desmontado em 1958, e no mesmo local, por ordem do Presidente do Conselho, Professor Oliveira Salazar, foi construída a réplica que hoje conhecemos, com 56 metros de altura, em betão e pedra de lioz. A sua inauguração foi em 1960, por ocasião do 5.º centenário da morte do Infante D. Henrique.

D.-Henrique-Padrão-dos-Descobrimentos.jpg

“O Padrão dos Descobrimentos é uma obra moderna de estilo sóbrio e com preciosos detalhes artísticos. A sua forma é a de uma caravela estilizada e esculpidos ao redor estão alguns dos maiores navegadores e personalidades importantes da época, como Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral e o poeta Luís de Camões. No topo do monumento destaca-se a imagem do grande impulsionador das descobertas, o Infante D. Henrique a segurar uma caravela em miniatura e a observar o Tejo, invocando a vontade de explorar o novo mundo.” (in padrão dos descobrimentos | lisboa cool)

Uma caravela estilizada faz-se ao mar, levando à proa o Infante D. Henrique e alguns dos protagonistas (32) da gesta ultramarina e da cultura da época, navegadores, cartógrafos, guerreiros, colonizadores, evangelizadores, cronistas e artistas, são retratados com os símbolos que os individualizam.

No chão do espaço fronteiro a norte do monumento encontra-se representada uma Rosa-dos-Ventos de 50 metros de diâmetro, oferecida pela África do Sul, em 1960, para valorizar o conjunto patrimonial que Portugal alcançou. 

Ao centro encontra-se um planisfério de 14m de largura, decorado com elementos vegetalistas, rosas-dos-ventos, bufões, uma sereia, um peixe fantástico e Neptuno com tridente e trombeta montado num ser marinho. "Datas, naus e caravelas marcam as principais rotas da expansão portuguesa, entre os séculos XV e XVI"

padraodosdescobrimentosnoite.jpg

Em 1985 o interior foi remodelado, dotando o Padrão, de um auditório e de salas de exposição, e de um miradouro, onde se descortina um belo panorama de Belém e do rio Tejo. Desde então que o Padrão dos Descobrimentos funciona como Centro Cultural das Descobertas.

 

A história das descobertas está marcada para sempre na cultura e na história de Portugal e do povo portruguês. Visitar o Padrão dos Descobrimentos é sentir-se motivado para atravessar as fronteiras e descobrir novos mundos além do mar.

“Coordenadas GPS: 38º 41’ 37” N, 9º 12’ 20” W