Papa Alexandre VI

O Papa Alexandre VI, batizado Rodrigo de Borja, nasceu por volta do ano 1431 em Espanha, na localidade valenciana de Xàtiva. Era filho de Isabel de Borja, irmã do papa Calisto III, e de Jofre (era sobrinho do Papa Calisto III).
Doutorou-se em Direito Canónico, na Universidade de Bolonha, no ano de 1456, desempenhou o cargo de notário apostólico e foram-lhe outorgados o título de cardeal de São Nicolau e o de vice-chanceler da cúria de Roma, entre outros.

Rodrigo de Borja teve relacionamentos amorosos com várias damas de famílias poderosas, destes relacionamentos nasceram vários filhos. Antes de ser papa nasceram Pedro Luís, Jerónima e Isabel, César, João, Lucrécia e Jofre.

Foi eleito Papa a 10 de Agosto de 1492, mas ainda foi pai de Rodrigo e João Borja.

A vida pouco eclesiástica, e de um hedonismo tipicamente renascentista, tornaram este papa Borja um dos paradigmas dos pontífices decadentes e mundanos (que tanto Martinho Lutero (Martin Luther) e João Calvino (Jean Cauvin) criticaram mais tarde).


Contudo, e apesar da sua intensa vida privada, foi um papa muito interessado pelos destinos da Igreja e dos Estados Pontifícios.

Alexandre VI foi também um grande mecenas das artes e das letras. Foi um dos típicos papas do Renascimento ou anteriores à Reforma Católica Tridentina (do Concílio de Trento, 1545-1563).

Faleceu a 18 de agosto de 1503 e foi sepultado na igreja de Santa Maria delle Febri. Em 1610 foi trasladado para a Igreja de Santa Maria de Montserrat, da nação espanhola em Roma.

Cardeal-Rodrigo-de-Borja-Papa-Alexandre-VI-1492-1503.jpg