Papa Calisto III

Calisto III foi um Papa espanhol, nascido em Játiva, a 31 de dezembro de 1378, e batizado com o nome de Afonso de Borja estudou em Valência, Lérida (onde se doutorou em Direito Civil e Direito Canónico). Foi cónego na catedral de Lérida, em cuja universidade lecionou também a cadeira de cânones. No ano de 1429 foi nomeado bispo de Valência pelo papa Martinho V, em 1443 ascendeu ao título de cardeal tendo então ido viver para Roma.  A 8 de Abril de 1455 foi eleito Bispo de Roma (Papa), tendo-se o seu papado durou pouco mais de 3 anos, faleceu a 6 de Agosto de 1458.

 

A 3 de Junho de 1455 o Papa Calisto III  canonizou São Vicente Ferrer na igreja dominicana de Santa Maria sopra Minerva, em Roma.

o-que-fazer-no-vaticano.jpg

Em 1456, um tribunal inquisitorial autorizado pelo Papa Calisto III para examinar o julgamento de Joana D’Arc (Jeanne d'Arc), e depois de uma exaustiva análise dos factos, foi formalmente proclamada sua inocência e declarada mártir da igreja  (Joana D’Arc foi beatificada em 1909 e canonizada em 1920 pelo Vaticano, e é uma das padroeiras de França).


O Papa Calisto III beatificou Santa Rosa de Viterbo (o Processo de Canonização ficou pronto em 1457, mas Calixto III morreu sem que chegasse a promulgar o decreto. Curiosamente, a canonização de Rosa nunca chegou a termo, dentro dos trâmites exigidos. Mesmo assim, foi integrada ao Martirológio Romano, e confirmada por sucessivos pontífices em diversos documentos. Seu corpo, incorrupto e flexível, está no Santuário di Santa Rosa).

Ainda que tenha tentado assegurar a paz entre os principados de Itália, por ser um Papa estrangeiro não era muito bem visto em Roma, facto que se agravou com a nomeação para os cargos mais importantes e próximos de si uma infinidade de personagens de Aragão, de Valência e da Catalunha, foi mesmo acusado de nepotismo.

 

Foi sepultado na igreja de Santo André e no ano de 1610 transferiram-se os seus restos mortais para a Igreja de Santa Maria de Montserrat, da nação espanhola em Roma.