naom_6040eb8d187ea.jpg

Rio Douro 

O rio Douro nasce em Espanha (Serra de Urbión) atravessa o norte de Portugal desaguando, no Atlântico, junto às cidades do Porto e de Vila Nova de Gaia.

O último troço do rio aperta-se e o leito é profundo formando arribas escarpadas. Estas margens foram protegidas com a criação dos Parques Naturais do Douro Internacional em Portugal e das Arribas do Douro em Espanha.

A 14 de Dezembro de 2001 a Região Vinhateira do Alto Douro foi classificada como Património da Humanidade da UNESCO (categoria de Paisagem Cultural).

O nome do Rio está envolto em muitas lendas e histórias, entre as quais o de em tempos idos por ali rolarem pedrinhas de ouro. A hipótese mais provável remete para o celta dur ou dubr (água, rio). 

Com o tempo o caudal do rio foi sendo domado, nomeadamente pela construção de barragens que permitiram a criação de grandes albufeiras de águas tranquilas que incentivaram a navegação recreativa e turística, bem como o desenvolvimento da pesca desportiva.

No troço português do rio Douro a construção de eclusas (comportas), paralelamente às barragens hidroelétricas, possibilitou a criação de um canal de navegação que permite viajar nas águas que serpenteiam as majestosas fragas e arribas de uma paisagem de beleza incomparável.

Ao longo das agrestes, mas belíssimas fragas e montes da paisagem duriense podem ser avistadas vastas espécies de aves, nas partes mais altas é possível observar aves de rapina a guardar os seus ninhos.

2069_banner_1574435931.jpg

Nas várias albufeiras podem ser pescadas várias espécies piscícolas, nomeadamente as que foram sendo introduzidas pelo ser humano, infelizmente as espécies indígenas encontram-se em grave perigo de extinção (tanto pela pesca desregrada, como pela alteração das condições ambientais).

Nas encostas da paisagem duriense podem ver-se, por exemplo, pinheiros, carvalhos, sobreiro, estevas e zimbros, e várias espécies cinegéticas – texugo, gineta, a raposa, a lebre, o coelho, a lebre, o javali e a corça, entre outras.  

O Turismo Fluvial constituiu-se como um dos maiores e mais bem ilustrados postais de visita do Douro.

Desde 1990 que existe no Douro uma Via Navegável com 210 quilómetros que se estende desde Barca d’Alva atá ao Porto.

Por esta via navegável têm passado largos milhares de passageiros. A duração das viagens tem duração variável, durando de 30 a 60 minutos, concenrando-se principalmente nas áreas do Porto-Gaia, em menor escala também se realizam viagens em Entre-os-Rios, Régua, Pinhão,Foz do Sabor e Pocinho.

 

Destaque ainda para a existência de vários barcos hotel a operar. Os cruzeiros com duração de um dia já em 2014 ultrapassaram os 160 milpassageiros – estes barcos navegam principalmente nos trajetos Porto-Régua-Porto, Régua-Pinhão-Régua e Régua-Barca d’Alva-Régua.

    

Venha visitar uma das mais belas Paisagens Fluviais do Mundo, viva emoções ímpares e leve consigo memórias para a vida.

Localidades portuguesas nas margens do Douro em Portugal

  • Miranda do Douro

  • Vila Nova de Foz Côa

  • São João da Pesqueira

  • Lamego

  • Peso da Régua

  • Pinhão

  • Gondomar

  • Vila Nova de Gaia

  • Porto

O QUE FAZER

Visitas Próximas