603f7f678c0cd1094191423.jpg

Sala do Trono - Salão Gótico

O salão Gótico (na verdade não é de traça gótica) ou Sala do Trono é uma dependência de grande interesse dadas as suas proporções, e a sua solenidade, e ainda que seja um local austero não deixa de ser majestoso. Foi nesta sala que Bento XIII colocou a sua cadeira / trono papal. Tem configuração rectangular com abóbada de berço e paredes de cantaria esculpida, a luz do Mediterrâneo penetra na sala pelas cinco suas janelas, três abertas para o exterior e duas em estilo gótico, abertas para o pátio.

O acesso a esta dependência é feito através de uma porta semicircular à qual se acede através de uma pequena escada situada no Pátio de Armas. Sob esta porta encontra-se esculpido o brasão de Frei Berenguer de Cardona, Mestre da Ordem do Templo no final do século XIII. No tempo do Papa Luna esta deve ter sido uma sala sumptuosamente decorada, como seria de esperar de uma sala pontifícia. Mas nada resta desse esplendor, não há tapeçarias, nem cadeiras cardinalícias ou do dossel que abrigava o trono papal, o único vestígio que resta desse tempo são as argolas de ferro no teto sugerindo que era ali que estariam os candelabros que iluminariam a sala à noite e nos escuros e frios dias de inverno. 

À cabeça desta sala encontra-se uma discreta porta por onde se acede aos aposentos do palácio papal. Foi utilizada para recepções e audiências papais.

Este espaço é igualmente conhecido por Sala do Comandante, Sala dos Cavaleiros e ainda por Sala de Armas.

Esta sala é também conhecida como Sala do Comandante, Sala dos Cavaleiros ou Sala de Armas. Esta sala foi usada por todos os que por lá passaram – Cavaleiros Templários, Cavaleiros Monstesanos (esta ordem ocupou o castelo em 1319, após extinção dos Templários), bem como a Cúria Papal para audiências, atos solenes e receções.